Dado o pontapé inicial no meu primeiro projeto nacional de Comunicação na Receita Federal

Na sexta-feira dia 23 de Julho, minutos antes de sair de férias (por uma semana), enviei ao Subsecretário Geral da Receita Federal, auditor-fiscal Décio Rui Pialarissi, a proposição do projeto “Receita Federal nas Mídias Regionais e Locais”.

O material que mandei não foi criação unicamente minha, claro – é resultado do trabalho de um grupo muito bom de colegas de todo o Brasil.

Esse é o primeiro projeto nacional que elaboro e encabeço na vida. Então, vejo como uma coisa bem importante.


O que é o projeto?

Este projeto foi uma ideia do próprio subsecretário. Eu e o auditor Marlton Caldas de Souza fomos colocados como gerentes nessa empreitada e nós reunimos um pequeno grupo de cabeças brilhantes para nos ajudar a bolar a coisa toda.

A ideia central é mobilizar os agentes, inspetores e delegados da Receita Federal e dar-lhes capacitação e apoio para que atuem como porta-vozes locais da instituição, integrem-se ao trabalho da comunicação social de suas regiões, e criem até suas estratégias de divulgação próprias nas unidades espalhadas pelo Brasil.

Os objetivos vão além – e incluem algumas coisas mais metódicas, como o mapeamento dos veículos de comunicação, dos públicos, das mídias utilizadas, a mensuração detalhada da repercussão das notas enviadas pela Receita, etc.

Trata-se de um plano ambicioso, abrangente.

Eu, no entanto, estou tranquilo. Em parte porque sou “de boas”, e em parte porque percebi que meu colega na cabine de pilotos dessa nave é um gestor muito experiente, e não me deixa sozinho na chuva em momento algum.


E agora?

O subsecretário recebeu, de nós, um pacote de arquivos: a apresentação do projeto, um guia geral que escrevi e depois temperei com colaborações várias dos colegas, além de alguns documentos que já existiam na instituição (feitos por várias pessoas, nos últimos anos) e que vinham sendo usados em capacitações da área de Comunicação.

Acho que temos uma base bem rica e bem focada para começar. Agora, vamos à fase de implementação disso tudo.

E vai ser o máximo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *