Quem é Fábio Burch Salvador

Bacharel em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo pela PUC-RS. Servidor público da Receita Federal. Assessor de imprensa. Agente titular da ARF/Caçapava do Sul-RS. Comunicador. Escritor.


Biografia mais ou menos completa

Eu nasci em 1981 na cidade de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, do Brasil e do Mundo. Sou casado e tenho dois filhos.

Tive uma infância mais ou menos solitária, boa parte dela sem amigos na escola. Por outro lado, tenho uma irmã quase a mesma idade que eu e havia sempre uns primos e vizinhos com quem brincar.

Cresci nos anos 80, tive um Atari, montava Lego e escutava discos do Balão Mágico. Meus pais eram atenciosos, extremamente trabalhadores e dedicados a nós. Eu gostava muito de ler.

Aprendi a programar ainda pré-adolescente, em um PC 286 que meu pai usava para trabalhar. Além disso, passei a me interessar por História e devorava obras como a Coleção Grandes Líderes.

Sonhava em ser cineasta e, por isso, passava noites assistindo a filmes mudos e produções obscuras, observando técnicas que depois tentava reproduzir com uma câmera VHS usando os amigos e parentes como elenco.

Aos poucos, eu ia me transformando nessa figura meio Comunicador, meio Político e meio “nerd da tecnologia” que sou até hoje.

Em 2000, prestei teste específico para o curso de Artes Cênicas (hoje chamado de Teatro) na UFRGS. Entrei na sala interpretando um bêbado maluco em uma cena que deveria ser dramática (eu não havia entendido o contexto do roteiro). Mesmo assim, fui aprovado porque os julgadores morreram de rir. Só que eu não ingressei no curso. Fui fazer Jornalismo na PUC, onde me formei em 2005.

Pouco depois de me formar, casei e fomos morar em Viamão. Nesta cidade, acabei ganhando alguma projeção como jornalista e fiz parte da geração pioneira de comunicadores locais na internet.

Eu também fiz algumas incursões na política, afinal, depois de passar a adolescência lendo sobre os grandes vultos da história, passei a achar que deveria tentar me tornar um deles.

Essas aventuras midiáticas e políticas eram fantásticas mas não me garantiam uma renda sólida, então eu seguia trabalhando com informática. E foi assim que arranjei um dos empregos mais legais da minha vida, como instrutor do Senac.

Nessa época, escrevi apostilas que acabariam depois se espalhando pela web e sendo úteis a milhares de pessoas em todo o Brasil, além dos meus dois livros didáticos sobre programação publicados pela Editora Viena.

Fiz, também, alguns concursos públicos. Fui chamado em quatro deles, mas só tomei posse em dois.

Meu primeiro emprego público foi na CEEE, de 2008 a 2015. Lá, eu não apenas atendia público mas também dava aulas em capacitações e representava a empresa como preposto. Só que nunca fui nomeado para cargo nenhum e vivia muito deprimido porque o clima na empresa era meio pesadão. A companhia estava quase falida, com muitas nomeações políticas e desmandos. Meu “grande momento” nesta carreira só veio no finalzinho dela, quando participei do comando de uma enorme greve em 2014.

Naquele mesmo ano, prestei um concurso do Ministério da Fazenda e novamente me classifiquei. Em 2015, ingressei no quadro funcional da Receita Federal, onde permaneço até hoje.

Nesta nova organização, encontrei uma realidade bem melhor e, depois de trabalhar por cinco anos na ARF-Viamão, fui transferido para a Seção de Comunicação Institucional da 10ª Região Fiscal, da qual logo fui nomeado chefe substituto.

No final do ano de 2020, assumi o comando da ARF-Caçapava do Sul, mas continuo ligado em tempo parcial à assessoria de Comunicação, além de integrar o grupo de Cidadania Fiscal.

Paralelamente, sigo fazendo meu canal no Youtube e comecei a escrever livros que não são sobre informática. O primeiro deles, “Política para Iniciantes“, foi lançado em 2020.

Um dia talvez eu acabe indo parar na Academia Brasileira de Letras. Ou no Palácio do Planalto. Ou ganhe meu próprio programa de auditório. Ou tudo isso ao mesmo tempo. Quem sabe?


Escolaridade

  • Bacharelado em Comunicação Social – Jornalismo pela PUCRS (concluído em 2005).
  • Técnico em Informática pela Escola Objetus (concluído em 2012).

Capacitações corporativas

  • Liderança Remota, com Claudio Zanutim – IBMEC – 2020
  • Gestão de Equipes em Trabalho Remoto – ENAP – 2020 – 20h
  • Primeiros passos para o uso de Linguagem Simples – ENAP – 2020 – 8h
  • Temos que dar aulas remotas… E agora? – ENAP – 2020 – 10h
  • Regularização de obras – SERO / Formação de capacitadores locais – ENAP – 2019 – 16h
  • Gestão pessoal – Base da liderança – ENAP – 2018 – 50h
  • Grafoscopia e Documentoscopia – ENAP – 2018 – 10h
  • Processo Administrativo Fiscal – ESAF – 2016 – 20h
  • Direito previdenciário – ESAF – 2017 – 60h
  • Fundamentos e Metodologia da Educação Corporativa – ESAF – 2015 – 40h
  • BROffice – ESAF – 2015 – 60h
  • Cidadania Fiscal – ESAF – 2015 – 20h
  • Segurança institucional – ESAF – 2015 – 10h