MITEI: profissionais do sexo enrustidas

Alguém divulgou um post com o papo de duas meninas que diziam que não namorariam um pobre, e que não racham conta: o homem é obrigado a pagar tudo para elas, para ter alguma chance.

Mais de mil curtidas no meu comentário:

 

Ora, faça-me o favor! Em plena era da emancipação feminina, mulheres trabalhando, ganhando ás vezes mais seus namorados e maridos, assumindo chefias, ainda existem essas moças que exigem ser bancadas? Deveriam assumir logo o roda-bolsismo como profissão.

MITEI: os turbantes e a apropriação cultural

 

É incrível como essas pessoas sociologísticas e politiquentadas (ou seja, já treinadas no discurso da politicagem) conseguem arrancar debates épicos de questões absolutamente babacas: nenhuma cultura desenvolveu-se isolada neste mundo. Tudo teve influência de todos.

Em pleno século XXI, com a lógica capitalista imperando em tudo, os objetos podem e serão reproduzidos em escala industrial, desligados de seus significados originais, para consumo de quem se dispuser a comprá-los.

Existe, há uns cem anos, toda uma teoria sobre a Indústria Cultural, Adorno, Horkheimer e outros autores altamente soníferos com livros enormes sobre isso.